O “Hype” da Água Alcalina

Agua alcalina - Miguel Figueiredo

Conteúdo deste artigo

Introdução

Sei que este artigo irá gerar alguma polémica, mas o tema em sí é polémico. Numa altura que temos tantas figuras conhecidas ligadas à saúde a defender os “milagres” da água alcalina, temos também cada vez mais referências e cientistas a dizer o oposto.

Pela minha parte já investiguei bastante sobre o tema e continuo a achar cada vez mais que a teoria por detrás do “milagre da água alcalina” está muito mal sustentada.

A água alcalina é rara na natureza é mesmo um fenómeno hidrológico. Se dependêssemos desta água para sermos saudáveis nunca teríamos sobrevivido como espécie.

Mas, tudo o que é raro, costuma cair numa aura de misticismo e são lhe conferidos poderes quase sobrenaturais.

E só para “apimentar” mais esta introdução, fica a informação que o Dr. Robert Young, o “pai” do Milagre do pH em 2002, e que influenciou a geração seguinte de seguidores e defensores de tudo o que é alcalino, foi preso, julgado por 18 crimes e condenado a prisão e multas.

E que afinal, também só se chama Robert pois o título de “Dr” nunca existiu sequer, tendo sido inclusive condenado a pagar mais 100 Milhões de dólares a pacientes que burlou.

Tudo isto é ainda mais bizzaro quando os seus livros continuam a ser vendidos e marcas conhecidas de máquinas para alcalinizar a água, usam argumentos do falso “Dr” como referência.

A água alcalina

A venda de máquinas domésticas para alcalinizar a água é um negócio de milhões com resultados de pobre.

É comum ver os seus defensores públicos a dar palestras ou workshops sobre o tema, mas sempre associados a uma marca ou outra que vende estas máquinas. 

Os defensores (às vezes fanáticos) da água alcalina acreditam de que os seus poderes são imensos e defendem-na veementemente, por vezes com base em ciência “ingénua”. 

Quando tentamos entender a qualidade de uma água não devemos apenas olhar para a sua alcalinidade. De facto, muitas das melhores águas podem ser ligeiramente alcalinas, mas a sua qualidade é determinada por muito mais que apenas o valor do pH.

Algumas pessoas experimentam um benefício inicial quando começam a beber água alcalina. Isso pode ser facilmente atribuído à destoxificação e o fato de que, provavelmente, essa pessoa está melhor hidratada.

Acredito que a destoxificação e hidratação o são as únicas vantagens deste tipo de água. Estes benefícios são limitados pois esta só́ deve ser utilizada poucos dias (não mais do que uma ou duas semanas).

Agora a ideia de que beber água alcalina irá alterar, por exemplo, o pH do sangue (entre 7,36 e 7,42) é absolutamente ridículo.

Se isto acontecesse o mais provável é estar numa cama do hospital ou na morgue.

O pH e o corpo humano (a parte complexa)

O corpo tem sistemas tampão que, independentemente do que possamos comer e beber, garante que o intervalo de pH sanguíneo nunca saia desse intervalo.

O factor que mais afecta o pH sanguíneo é o controle da respiração, e o corpo aqui também tem mecanismos de defesa.

Se  uma pessoa não sofre de insuficiência renal ou respiratória, NADA que coma mudará o pH do sangue de forma significativa. Até pode comer um quilo de couve inteiro ou um rodízio de churrasco que o pH do sangue não muda. 

E ainda bem que não muda, pois tanto a alcalose metabólica quanto a acidose metabólica são situações muito graves. Uma pequena variação de 1,0 pode levar à morte imediata.

A presença de mais CO2 faz o sangue mais ácido e é essa a razão porque quando sustemos a respiração durante muito tempo, os níveis do CO2 aumenta no sangue que abaixa nosso pH que conduz ao desmaio.

Por outro lado durante a alcalose ou o pH aumentado, a respiração  lenta pode aumentar ligeiramente os níveis do CO2 e reduzir a alcalinidade. Contudo, a baixa taxa de respiração poderia igualmente conduzir aos baixos níveis do oxigénio que podem ser prejudiciais. 

Dica que vai poupar tempo e dinheiro para quem quer “alcalinizar” o organismo: Façam respirações lentas e não stressem tanto. Pratiquem yoga e meditação.

Mais ainda, o nosso corpo necessita de vários níveis de acidez/alcalinidade para funcionar.

  • O estômago necessita de um pH entre 2 e 3 (altamente ácido)
  • O intestino delgado, para absorver nutrientes, mantém 6 a 7,4 (de ácido a neutro). 
  • O líquido intracelular cerca de 6,8 e o extracelular de 7,4 (de ácido a neutro). 
  • Um valor de pH vaginal saudável é entre 3,8 a 4,5, dentro do intervalo ácido.

Então quando estamos a “alcalinizar” o organismo não estamos a alcalinizar também o que deveria permanecer ácido? Não é necessário ser nenhum bioquímico para perceber a falha nesta lógica. Alcalina ou acídica ?

Para além da filtragem de água, há também a questão do pH, ou seja, água alcalina versus água ácida. Atualmente há alguns alegacões de saúde surpreendentes e milagrosas sobre a água alcalina, mas será que têm fundamentação científica sólida?

A teoria por trás da água alcalina é, em poucas palavras, que a água alcalina (ionizada) tem um poderoso efeito antioxidante com elétrones excedentes que podem eliminar os radicais livres perigosos que se encontram no nosso sangue. Os comerciantes afirmam que a água alcalina pode corrigir o excesso de acidez dos tecidos, podendo impedir o cancro, artrite e outras doenças degenerativas, infeções, etc.

Segundo Thomas Wheeler, qualquer ião positivo que bebamos imediatamente vai ligar-se a um ião negativo pelo que a ideia de que é possível beber alguns eletrões extra é simplesmente ridícula!

Robert Gillies, uma das maiores autoridades mundiais sobre o cancro, afirma que de facto muitos tumores são acídicos porque fabricam ácido e não por causa do doente ingerir alimentos ou água mais acídica.

A acidez nos tumores é consequência e não a sua causa!

Há́ quem refira alguns relatos de tratamento do cancro através do bicarbonato de sódio (alcalino). A questão é que os resultados foram muito limitados e envolveu a “injeção” de bicarbonato de sódio dentro das células cancerígenas. É errado concluir que mesmo efeito pode ser obtido através da ingestão de bicarbonato de sódio ou água alcalina.

Os efeitos da água alcalina - um pouco de bioquímica

Tem havido um grande debate sobre o combate ao cancro, tornando o nosso corpo mais alcalino. Isto tornou-se um foco de interesse, pois as taxas de cancro dispararam (juntamente com doenças  crónicas debilitantes), enquanto os nossos corpos se tornaram mais ácidos devido às nossas dietas alimentares processadas.

A investigação científica sobre os benefícios de alcalinidade não é de forma alguma conclusiva.

O pH parece ter uma grande influência sobre a mitocôndria da célula:

  • As células normais morrem sob condições alcalinas extremas. Um estudo publicado no Journal of Biological Chemistry concluiu que a alcalose (aumentando do pH celular) provoca a morte celular induzida pela alcalinidade como um resultado da alteração função mitocondrial.
  • Outro estudo de Cornell University afirma que os antioxidantes não têm provado ser eficazes contra muitas doenças neuro degenerativas, e indicam que pode ser o resultado da forma como as mitocôndrias funcionam dentro da célula em certas condições de pH.
  • Existem muitos estudos científicos que argumentam mesmo contra a alcalinidade, pelo menos no que diz respeito à prevenção ou tratamento do cancro. Considere-se a pesquisa realizada por Robert Gilles, que estudou da acidez na formação de tumores.

De acordo com Gilles, os tumores, pela sua própria natureza, tornam-se acídicos – mesmo numa estrutura celular alcalina. Por outras palavras, eles criam a sua própria acidez.

Os cientistas que estão no processo de desenvolvimento de protótipos para os potenciais novos agentes anticancerígenos que matam seletivamente células tumorais, interferindo com a regulação do pH intracelular, descobriram que tratamentos alcalinos não tem o efeito desejado, mas os tratamentos fortemente ácidos sim.

Os cientistas que investigam o cancro estão neste momento combater com ácido as células cancerosas que adoram ácido!

Menos alcalinidade dentro de uma célula cancerosa parece ser o mais eficaz.

Assim, todos aqueles vendedores que prometem que a água alcalina vai diminuir o risco de cancro ficam sem chão quando se trata de demonstrar o que a pesquisa científica realmente afirma.

Ainda mais interessante é um estudo do National Cancer Institute, que investigou a vitamina C (ácido ascórbico) para tratar o cancro. Eles descobriram que, em doses farmacológicas administrados por via intravenosa, o ácido ascórbico matou com sucesso células cancerosas sem danificar as células normais.

Este é mais um exemplo de células cancerosas vulneráveis à acidez, por oposição à alcalinidade. É claro que a relação entre alcalinidade e cancro tem sido grosseiramente simplificada por aqueles que se precipitam em tirar conclusões prematuras e, claro, por aqueles que tentam lucrar com o medo de ter cancro.

Resumindo a água alcalina não parece ser a cura milagrosa para o cancro!

E o equilíbrio?

Como acontece com muitas coisas, no final, é uma questão de equilíbrio.

A água que é muito ácida ou muito alcalina pode ser prejudicial para a saúde humana e conduzir a um desequilíbrio nutricional.

Isso foi demonstrado num estudo Sueco com água de poço, que demonstrou que os dois extremos de pH podem ser problemáticos. O estudo analisou 30 elementos da água de 46 poços de regiões acidas ácidas com a água de 43 poços de regiões alcalinas da Suécia.

O nosso corpo simplesmente não foi projetado para beber água altamente alcalina durante muito tempo.

Então é do mais elementar bom senso ter muito cuidado quando se trata de algo tão fundamental como a água que bebemos diariamente.

Faz sentido que o nosso corpo esteja concebido para beber a água que ocorre naturalmente, o que exclui água alcalina com níveis de pH acima de 8.

O excesso de água alcalina

Se bebermos sempre água alcalina, a alcalinidade do estômago vai aumentar, neutralizando a acidez do estômago e prejudicando a capacidade de digerir os alimentos, ainda por cima sabendo que uma das causas mais comuns de úlceras, ao contrário do que se julga, é uma baixa concentração de acido no estômago.

A água alcalina, pH 8,8 neste estudo, neutraliza por completo a pepsina, a principal enzima necessária para decompor as proteínas.

A baixa acidez pode também facilitar a colonização de parasitas no intestino delgado, assim como dificultar a digestão das proteínas ingeridas na alimentação.

Um aumento da alcalinidade também pode prejudicar a absorção de minerais e nutrientes absorvidos ao longo do tempo sendo que, alguns destes efeitos sobre a saúde já́ podem ser comprovados em bebedores “compulsivos” de água alcalina.

A alcalinidade também é um potencial problema para o nosso microbioma porque tem um efeito antibacteriano, que poderá́ perturbar o equilíbrio da flora bacteriana benéfica para o nosso corpo, nomeadamente para o nosso sistema imunitário.

Conclusão

E assim ficamos com a questão: Estará́ à vista o fim do “Hype” da água alcalina? Que água beber ?

Prefira a água de torneira filtrada através de um jarro ou outro sistema eficaz sem gastar uma fortuna. Se consumir águas engarrafadas prefira águas de nascente ou água mineral e vá́ variando entre as marcas. Preocupe-se mais em garantir a ingestão de 1,5 a 2 lts de água por dia, do que com o pH da água.”

 

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on telegram

Deixe uma resposta