O que é a Medicina Funcional

Medicina Funcional

A Medicina Funcional é uma evolução da medicina que permite abordar melhor as necessidades de saúde do século 21.

Usa uma abordagem que envolve o paciente e médico numa uma parceria terapêutica. Muda o foco centrado na doença (tradicional da prática médica) para uma abordagem mais centrada no paciente.

Conteúdos deste artigo

O que é a Medicina Funcional

Porque é que cada vez é mais falada e porquê cada vez mais médicos e profissionais de saúde adotam essa filosofia para o tratamento de doenças crónicas?

A Medicina Funcional procura identificar e combater as causas profundas da doença, e vê o corpo como um sistema integrado, e não um conjunto de órgãos independentes divididos por especialidades médicas. Ela trata todo o sistema, e não apenas os sintomas, assim como um jardineiro procura tratar as raízes da árvore para corrigir quaisquer problemas com o tronco ou folhas. 

O modelo de Medicina Funcional é uma abordagem individualizada, centrada no paciente e baseada na ciência, que capacita pacientes e profissionais a trabalharem juntos para abordar as causas subjacentes da doença e promover o bem-estar ideal. Requer uma compreensão detalhada dos fatores genéticos, bioquímicos e de estilo de vida de cada paciente e utiliza esses dados para direcionar planos de tratamento personalizados que levam a melhores resultados para o paciente – Institute for Functional Medicine

É uma abordagem holística e integrada, sem cair no erro de confundir o termo holístico com algo esotérico ou espiritual. Pelo contrário, é uma medicina baseada na evidência e na ciência mais atual.

Já a Medicina Convencional procura descobrir os sintomas do problema e lidar no imediato com eles apenas a este nível. 

A Medicina Funcional é uma evolução da medicina que permite abordar melhor as necessidades de saúde do século 21.

Usa uma abordagem que envolve o paciente e médico numa uma parceria terapêutica. Mudando o foco centrado na doença tradicional da prática médica para uma abordagem mais centrada no paciente.

É também um processo de educação que visa não só corrigir os problemas que eles têm hoje, mas trabalhar para evitar que eles aconteçam novamente no futuro.

Por que precisamos de Medicina Funcional?

  • Na nossa sociedade há cada vez mais pessoas a sofrer de doenças complexas, crónicas, como diabetes, doenças cardiovasculares, cancro, síndrome metabólica, doenças auto-imunes.
  • O sistema de medicina praticada pela maioria dos médicos está orientado para cuidados agudos, o diagnóstico e tratamento de trauma ou doença que é de curta duração e que necessitam de cuidados urgentes, tais como uma apendicite aguada ou uma perna partida. Os Médicos aplicam tratamentos específicos, prescritos, tais como drogas ou cirurgia que visam tratar o problema imediato ou o sintoma.
  • Infelizmente, a abordagem de cuidados agudos para a medicina não tem a metodologia e as ferramentas adequadas para a prevenção e tratamento de doenças complexas, crónicas. Na maioria dos casos ela tem em conta a composição genética única de cada indivíduo ou fatores, tais como exposições ambientais a toxinas e os aspectos do estilo de vida de hoje, que têm uma influência direta sobre o aumento das doenças crónicas na sociedade ocidental moderna.
  • A distância entre as pesquisas na área médica e a sua aplicabilidade prática em si é enorme, em particular na área das doenças crónicas.
  • A maioria dos médicos não é adequadamente treinada para avaliar as causas subjacentes de doenças crónicas e complexas, bem como aplicar estratégias de nutrição, dieta e exercícios para tratar e prevenir essas doenças nos seus pacientes.

Por que a Medicina Funcional é diferente?

A Medicina Funcional envolve compreender as origens, prevenção e tratamento das doenças complexas e crónicas. As características da abordagem da Medicina Funcional incluem:

  • Assistência centrada no paciente. O foco da Medicina Funcional está no cuidado centrado do paciente, a promoção da saúde como uma vitalidade positiva, e não apenas a ausência de doença. Ao ouvir o paciente e o seu historial, o técnico de saúde leva o paciente ao processo de descoberta e adapta tratamentos que atendam às necessidades únicas do indivíduo.
  • Uma abordagem integrativa de saúde de base científica. Praticantes de medicina funcional olham “a montante” para considerar a complexa teia de interações na história do paciente, como a fisiologia e o estilo de vida que podem levar à doença. A composição genética única de cada paciente é considerada, juntamente com aspectos internos (mente, corpo e espírito), externos (ambiente físico e social), e fatores que afetam o funcionamento total.
  • A Medicina Funcional integra práticas médicas tradicionais ocidentais que, por vezes, são consideradas “alternativas” ou “integrativas”, criando um enfoque na prevenção através da nutrição, dieta e exercício; a utilização de ensaios de laboratório mais recente e outras técnicas de diagnóstico; e combinações de drogas e/ou medicamentos botânicos, suplementos, dietas terapêuticas, programas de destoxificação, ou técnicas de gestão de stress prescrito.
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on telegram

Deixe uma resposta